Meu novo e-mail para aconselhamentos e pedidos de orações: suedsantana@yahoo.com.br COMPARTILHE COMIGO SUA LUTA!!Me siga no twitter:@Esposavirtuosa_

Contato p/ palestras e encontros

E-mail: contatosesposa@yahoo.com.br

Seguidores

28 de dezembro de 2011

Em caso de adultério, a mulher deve investir no resgate do casamento ou exercer o seu direito bíblico do divórcio?



A bíblia classifica o divórcio como sendo o resultado de “dureza de coração”. Quando os discípulos argumentaram com Jesus afirmando que Moisés permitiu na lei, o divórcio, Jesus responde dizendo que sim. Moisés permitiu, mas essa não era a vontade de Deus, desde o princípio. (Marcos 10.5-9). Mas Jesus lhes disse: Por causa da dureza do vosso coração, ele vos deixou escrito esse mandamento; porém, desde o princípio da criação, Deus os fez homem e mulher. Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe (e unir-se-a à sua mulher), e com sua mulher, serão dois uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem.


Vimos que, sendo o divórcio, resultado de dureza de coração, a bíblia abre uma exceção para tal – em caso de adultério. Sendo que, mesmo em caso de adultério, por um dos cônjuges, é necessário trabalharmos ou aconselharmos para que haja uma reconciliação através do perdão. Quem conhece a palavra de Deus, nunca deve aconselhar ou incentivar uma pessoa a se divorciar, antes de ver ou executar todas essas possibilidades. Pois, por mais que tenha sido duro o processo de restauração do casamento, ele trará resultados muito acima dos “estragos” causados pelo divórcio. Principalmente se envolver filhos, enteados, etc.
Contudo, sabemos que há casos que não é possível continuar o relacionamento. Principalmente quando se trata de violência – tanto física quanto verbal ou psicológica, bem como doenças infecto-contagiosas como é o caso da aids, o uso e abuso de drogas, etc. por um dos cônjuges. Essa é uma pergunta difícil de ser respondida dentro duma proposta geral, pois mesmo dentro de uma igreja, eu diria que há sim, casos que são passíveis de divórcio, mas há também muitos outros que jamais deveriam se divorciar. Será necessário analisar cada caso individualmente, pois ao contrário, podemos cometer julgamentos errados. 
Que Deus abençoe amigas!! Sú

21 de dezembro de 2011

Quando tudo vai mal no casamento e as palavras não resolvem.



Quando a escuridão tomar conta da situação e a ausência completa de luz nos impedir de decidir por falta de uma direção, então firmo os meus passos sobre o Nome do meus Deus, isso tem sido uma garantia diante dos problemas aparentemente insolúveis.,  pois aprendi que   
o segredo de um filho de Deus:  “Ele não teme más notícias; o seu coração está firme, confiando no Senhor. Salmos 112:7, e mais, “ Ainda que um exército se acampe contra mim, o meu coração não temerá; ainda que a guerra se levante contra mim, conservarei a minha confiança.Salmos 27:3
Então queridas, você que já pediu orientações para o seu pastor, um irmão mais maduro, já tentou resolver uma crise conjugal, mas que não tem dado sinais de melhora, é hora de se voltar para Deus, a Ele clamar e esperar pela solução vinda do céu. Não desista diante das primeiras dificuldades, lute , busque a cura. Quando a situação for desesperadora, Jesus é a esperança , e Ele faz tudo esplendidamente bem (Mc 7:37).
Sabe queridas, há casais que precisam não de aconselhamento, mas sim, de arrependimento, pois fazem tudo esplendidamente errado e querem que o casamento resista; outros precisam aprender mais sobre princípios como perdão e reconciliação para serem curados; mudanças profundas no coração deve acontecer. Alguns desistem sem lutar de maneira eficiente,  mas voltarão a enfrentar novamente os mesmos problemas num novo relacionamento, caso não se opere neles o milagre da troca de coração. 
Concluindo nosso raciocínio digo que  "Quando estiverdes em trevas e não houver luz nenhuma, confie no Senhor e firme-se sobre o seu Senhor" – Isaias 50:10.

15 de dezembro de 2011

Você ouve o seu esposo?




Todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” – Tiago 1:19.

Quando temos pouca disposição para ouvir nosso cônjuge transmitimos a impressão de que o que ele pensa e sente não são tão importantes para nós. E assim, quem não quer ouvir se aborrece e quem quer falar se sente desvalorizado e rejeitado. Se isso acontece com você, use um cronômetro mental e procure investir mais tempo para ouvir seu cônjuge de duas formas:
Por meio dos ouvidos (você ouve o que ele está dizendo) e pelo coração (o que ele está sentindo). Desenvolva a habilidade de ouvir seu cônjuge com interesse. Pare o que está fazendo e preste atenção no que ele está dizendo, ainda que você esteja assistindo seu programa favorito na televisão, ou seu seriado predileto (risos). Demonstre atenção por meio dos olhos e da expressão facial e corporal. Ele vai se sentir amado, valorizado, compreendido, aceito e apoiado. 

Essa atitude, ouvir mais e falar menos, vale por mil “eu te amo!”. Se, de repente, não for possível ouvir o outro naquele momento, diga-lhe: “Eu sinto muito não poder dar a atenção que você merece agora, mas a gente pode conversar melhor tal hora.” A esposa que escuta o marido atinge um excelente nível de segurança e satisfação no relacionamento. Pois, a liberdade de falar com amor, proporcionará ao casal uma comunicação plena e saudável.


12 de dezembro de 2011

Além da intimidade sexual...


O que acontece quando a intimidade vai além do simples ato sexual

O seu falar é muitíssimo doce; sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, tal o meu esposo, ó filhas de Jerusalém. (Cantares de Salomão 5:16)

O que vem à mente quando a palavra "intimidade" é proferida? Sexo? Acertou. Muitas pessoas pensam assim a respeito da intimidade. Contudo, existe mais de uma definição para intimidade.

Vários elementos são envolvidos para gerar um relacionamento íntimo. Muitos relacionamentos possuem lacunas por um motivo ou outro. Vocês poderão estar próximos em duas ou três situações, mas distantes em outras. 

Se vocês acham que têm um relacionamento próximo e íntimo, mas estão distantes em duas ou mesmo em uma situação, há um trabalho a ser feito. Vamos considerar as várias dimensões... porque todas estão relacionadas.

A intimidade emocional é o alicerce para o bom relacionamento entre um casal. Quando ela existe, há uma "sensação" de aconchego, um sentimento mútuo de zelo e amparo vindo de cada pessoa. Vocês compartilham tudo na arena emocional, inclusive tristezas e alegrias. Vocês se compreendem e estão sempre atentos aos sentimentos do outro. 

A intimidade social envolve ter amigos em comum em vez de conviver com amigos isoladamente. Ter amigos em comum para se divertir, conversar, orar e proporcionar auxílio mútuo é um reflexo dessa importante dimensão. 

A intimidade sexual é assumida como conseqüência inequívoca no casamento. Muitos casais fazem sexo, mas carecem de intimidade sexual. Realizar o ato físico é uma coisa, mas conversar sobre ele é outra coisa. 

A intimidade sexual gera prazer, mas também significa que vocês devem conversar a respeito, esforçar-se para satisfazer as necessidades do cônjuge e impedir que ela se transforme em rotina. Deve haver uma compreensão sobre as necessidades peculiares do homem e da mulher, e flexibilidade em atendê-las.

Existe ainda a dimensão da intimidade intelectual a troca de id
éias e a tentativa de conhecer e compreender o nível intelectual do cônjuge. Vocês diferem um do outro e amadureceram em função daquilo que compartilharam juntos.

A intimidade recreativa significa que vocês compartilham e desfrutam os mesmos interesses e atividades. Gostam de jogar juntos, mas sem espírito competitivo. Gostam de divertir-se juntos, e isso os aproxima ainda mais.

Para haver intimidade espiritual entre um casal, é necessário que ambos compartilhem as mesmas doutrinas a respeito de quem é Jesus e os princípios básicos da fé cristã. 

10 de dezembro de 2011

As qualidades da mulher que serve ao Senhor!



Os dias são maus, a mentira e intolerância invadem as igrejas, os lares e locais de trabalho. A mídia oferece cada vez mais propostas ilícitas como se fossem soluções para os problemas. Diante de tudo isso, manter-se com uma conduta louvável perante Deus não é uma tarefa fácil. Porém, a mulher que serve ao Senhor deve procurar agir com sabedoria e consultar a Sua Palavra, sondando seu próprio coração para ver se suas atitudes estão de acordo com as Escrituras Sagradas.

Como a mulher, dita na Bíblia por virtuosa, deve agir?  no caso de uma esposa, a Bíblia mostra que ela deve cuidado ao seu marido e sua casa, sendo submissa como Deus manda. Mas você sabe exatamente o significado da palavra submissão?

“Quando falamos nesta questão, vemos que a sociedade de hoje coloca isso de uma forma pejorativa, como se a mulher estivesse a baixo, e na verdade, ela está sob uma missão no mesmo patamar do homem, eu a vejo como uma adjutora. A Bíblia trata a mulher como uma auxiliadora, aquela que acompanha, ajuda. “Chego até a me lembrar da passagem bíblica na qual mostra a criação da mulher, Deus a tirou da costela, ou seja, do lado. Vejo isso também como um simbolismo mostrando que ela não está inferior ao homem, Deus a colocou para auxiliar e os dois contribuem para um crescimento mútuo”.

O mundo impõe a idéia da submissão como algo ruim, colocando a mulher apenas como serva do homem, vem de uma cultura com uma sociedade machista, onde o homem sempre tem mais privilégios do que a mulher. “Porém, Jesus veio quebrar isso, note que quando viveu neste mundo, a mulher sempre esteve presente. Ele não veio para fazer baderna ou bagunça, naquele tempo a cultura era outra e Jesus respeitou isso.

Mas hoje, a mulher não tem que ficar preocupada em estar submissa ao marido, afinal, estar submissa a alguem é estar debaixo de uma missão, em conjunto com este alguém. Eu estou submissa ao meu marido porque ele representa uma responsabilidade diante de Deus sobre minha vida e meus filhos, porque ser cabeça é isso, é responder diante de Deus sobre a vida dos outros.

É um privilégio, poder ser uma mulher que vive na presença do Senhor. Tendo a possibilidade de ser usada por Ele, mantendo uma vida com ordem e decência, sem pretensão de se impor à ninguém. Alíás, esta pretensão não deve fazer parte da vida de nenhum dos dois. É preciso buscar esse equilíbrio entre marido e mulher, se ajudando e procurando sempre conversar.

Em um relacionamento saudável, deve se expor os problemas um ao outro, e mesmo sabendo que marido é o cabeça, ele não deve tomar decisões sem conversar com sua esposa. “Meu marido senta comigo e expõe o problema, pergunta o que eu acho. Nós dois juntos achamos a solução, mas eu sou submissa a ele. Estou sob uma missão junto com ele, que é edificar nossa casa, promover a Palavra de Deus no nosso meio e cuidar dos nossos filhos. Vc tem sido assim???


9 de dezembro de 2011

Na alegria ou na tristeza...???



Quando fizer um voto, cumpra-o... Eclesiastes 5:4

Essa frase é bem conhecida, pois ela faz parte da liturgia do ritual do matrimonio. Milhares de casais todas as semanas em várias partes do mundo Ocidental fizeram ou estarão fazendo votos de amor um ao outro diante de um ministro cristão num dia especial.

Não são todos que compreendem as implicações dessa frase na vida conjugal, pois não aprendem a superar os obstáculos que surgem na construção de um relacionamento.

A vida conjugal é feita de momentos. Na hora em que é feito esse voto “na alegria ou na tristeza” é pronunciada pelos conjuges, o casal não se apercebe das implicações dessas juras de amor, até que sejam provados pelos momentos da adversidade das circunstâncias hostis que estiverem vivendo.

Momentos são partículas do tempo que deixam na estrada da decisão, a história  de um relacionamento que ficará como legado a família do casal entre aos quais os filhos serão os herdeiros. Portanto, é necessário que marido e mulher aprenda a superar os momentos difíceis pois o resultado dessa conquista é a felicidade familiar.

Os compromissos feitos num casamento sedimentam a união. Os casais que tomam consciência dos votos que fazem diante de Deus, experimentarão “laços de aço”, que “amarram” fortemente a união, forjados pelo calor das crises.

É importante salientar que: as crises acontecem em qualquer relacionamento. Nesses momentos conflituosos em  um relacionamento  o bom senso deve prevalecer. O homem e a mulher devem sempre fazer a si mesmos a seguinte pergunta:

“Isto que vou fazer, dizer ou pensar vai nos unir mais ou nos separar? Como disse o  poeta : "Nesta vida temos três professores importantes: o 'Momento Feliz', o 'Momento Triste' e o 'Momento Difícil'. O 'Momento Feliz' mostra o que não precisamos mudar.

O 'Momento Triste' mostra o que precisamos mudar. O 'Momento Difícil' mostra que somos capazes de superar." Que Deus abençoe poderosamente seu casamento!!

Nao existe a pessoa certa... Eu tenho que ser a pessoa certa.

6 de dezembro de 2011

Mulher, não temas!

"Deus não nos tem dado espírito de medo, covardia e timidez (...).” (2 Timóteo 1.7)
O medo rouba a fé de muitas mulheres. Medo de fracassar, medo dos homens e medo da rejeição são alguns dos mais fortes temores usados por satanás para nos impedir de progredir. Mas não importa o tipo de medo que o inimigo lance contra nossas vidas, o importante é vencermos. Quando estamos diante do medo, não podemos ceder a ele. É imprescindível para nossa vitória que determinemos: “Não temerei!”.
A reação normal ao medo é o combate. Satanás quer que corramos; Deus quer que nos aquietemos e que vejamos Seu livramento.
Por causa do medo, mulheres que amam a Deus não confrontam as questões de suas vidas; passam suas vidas fugindo. Temos que encarar nossa realidade e encarar nosso medo, tendo a segurança de que somos mais que vencedores. (Romanos 8.37)
Medo de fracassar atormenta multidões. Tememos o que as pessoas irão pensar de nós se fracassarmos. Se tomarmos uma atitude em relação a algo e fracassamos, talvez algumas pessoas ficarão sabendo disto; mas elas se esquecerão rapidamente se nós também assim o fizermos. É melhor tentar algo e falhar do que não tentar nada e não ter sucesso. Encare a vida com ousadia. O Espírito do Senhor está em você – então ajuste a sua mente a não temer.
Amiga, Encare qualquer temor que você possa ter. Determine em seu coração que o medo não vai governar a sua vida. Comece a dizer; “Não temerei!”.

4 de dezembro de 2011

Motivos de fracassos conjugais!

1. Você escolhe a pessoa errada porque espera que ele/ela mude depois do casamento.


O erro clássico. A regra de ouro é: Se você não pode ser feliz com a pessoa como ela é agora, não se case. "Na verdade, pode-se esperar que alguém mude depois de casado... mudará para pior!"
Jeremias 13.23”Porventura pode o etíope mudar a sua pele, ou o leopardo as suas manchas? Então podereis vós fazer o bem, sendo ensinados a fazer o mal.”
Portanto, quando se trata da espiritualidade, caráter, higiene pessoal, habilidade de se comunicar e hábitos pessoais de outra pessoa, capacidade de relacionamento, assegure-se de que pode viver com estes como são agora, ou então trate de ajudar seu futuro cônjuge, se você tem certeza que esse é o reservado por Deus para você e veja se há disponibilidade para mudanças, e alegria em faze-las. 
Lembre-se você foi chamado para ser ovelha, não deve casar com porco em todos os sentidos.

2. Você escolhe a pessoa errada porque se preocupa mais com a paixão que com o caráter.

A paixão acende o fogo, mas o bom caráter prepara e o mantém aceso. Esteja consciente da síndrome "Estar apaixonado". "Estou apaixonado" significa "Sinto atração física." A atração está lá, mas o que realmente atrai você? Você averiguou cuidadosamente o caráter dessa pessoa? Averiguou o seu próprio caráter que o motiva à aceita-los?
Aqui estão quatro traços de personalidade para serem definitivamente testados:
Humildade: Esta pessoa acredita que "fazer a coisa certa" é mais importante que o conforto pessoal? Está disposto a manter um relacionamento santo até o casamento? Combinaram em ficar reservado em todos os aspectos? E principalmente esta pessoa é temente e submissa a Deus?
Bondade: Esta pessoa gosta de ver e proporcionar o bem estar aos outros? Como ela trata as pessoas com as quais não tem de ser agradável? Ela faz algum trabalho voluntário? Faz justiça? 1
Responsabilidade: Posso confiar que esta pessoa fará aquilo que diz que fará? Afinal é uma pessoa de palavra? Como é esta pessoa com seus pais? É responsável com seu trabalho, seus compromissos?
Felicidade: Esta pessoa gosta de si mesma? Ela aprecia a vida? É emocionalmente estável? É uma pessoa equilibrada?
Você Perguntou-se: Eu desejo ser como esta pessoa? Quero ter um filho com esta pessoa? Gostaria que meu filho se parecesse com ela?

3. Você escolhe a pessoa errada porque vocês não partilham metas de vida em comum e prioridades.

Existem três maneiras básicas de nos conectarmos com outra pessoa:
1. Compatibilidade, nos entendemos?
2. Partilhamos interesses em comum? nos importamos com as mesmas coisas?
3. Compartilhamos o mesmo objetivo de vida? aquilo que se pretende alcançar quando se realiza uma ação; alvo, fim, propósito.
Assegure-se de que você compartilha o profundo nível de objetivos de vida em comum. Após o casamento, os dois crescerão juntos ou crescerão separados. Para evitar crescer separado, você deve encontrar sua alma gêmea. Ter os mesmos interesses e objetivos.
Esta é a verdadeira definição de "alma gêmea." Uma alma gêmea tem o mesmo objetivo - duas pessoas que em última instância compartilham o mesmo entendimento ou propósito de vida, e portanto possuem as mesmas prioridades, valores e objetivos.

4. Você escolhe a pessoa errada porque logo se envolve em namoro no padrão do mundo e sexualmente antes do casamento.

O envolvimento íntimo antes do compromisso de casamento torna-se um grande problema, porque muitas vezes impede uma completa exploração de aspectos importantes. O envolvimento íntimo tende a nublar a mente da pessoa. E uma mente nublada não está inclinada a tomar decisões corretas. É movida apenas pela paixão. 
José soube que apesar de Maria estar gravida, ele jamais a tocou, ela estava desposada com ele, isto é, ligada intimamente no espírito, ou reservada, prometida em casamento ou noiva.
Não é necessário fazer um "test drive" para descobrir se um casal é intimamente compatível. Se você faz a sua parte e tem certeza que é intelectual e emocionalmente compatível, não precisa se preocupar sobre compatibilidade sexual. De todos os estudos feitos sobre o divórcio, a incompatibilidade sexual jamais foi citada como o principal motivo para as pessoas se divorciarem.
2
No verdadeiro meio cristão não se utiliza a pratica e nem a palavra namoro, mas procurando agradar e obedecer a Deus, usa-se o termo e a pratica reservado.

5. Você casa com a pessoa errada porque não tem uma profunda compreensão emocional com esta pessoa.

Para avaliar se você tem ou não uma profunda compreensão emocional, pergunte: "Respeito e admiro esta pessoa?" 
Isso não significa: "Estou impressionado por esta pessoa?" Nós ficamos impressionados por um carro de luxo. Não respeitamos alguém porque tem um carro, mas porque tem caráter e autoridade moral. Você deveria ficar impressionado pelas qualidades de criatividade, lealdade, determinação, sinceridade, alto padrão de moralidade, etc.
Pergunte também: "Confio nesta pessoa?" Isso também significa: "Ele ou ela é emocionalmente estável? Sinto que posso confiar nele/nela?"

6. Você se envolve com a pessoa errada porque escolhe alguém com quem não se sente emocionalmente seguro.

Faça a si mesmo as seguintes perguntas: Sinto-me calmo, relaxado e em paz com esta pessoa? Posso ser inteiramente eu mesmo com ela? Esta pessoa faz-me sentir bem comigo mesmo? Você tem um amigo realmente íntimo que o faz sentir assim? Assegure-se que a pessoa com quem vai se casar faz você sentir-se da mesma forma!
De alguma maneira, você tem medo desta pessoa? Você não deveria sentir que é preciso monitorar aquilo que diz porque tem medo da reação da outra pessoa. Se você tem receio de expressar abertamente seus sentimentos e opiniões, então há um problema com o relacionamento.
Um outro aspecto de sentir-se seguro é que você não sente que a outra pessoa está tentando controlá-lo. Controlar comportamentos é sinal de uma pessoa doente, é uma pessoa sádica(satisfação, prazer com a dor alheia). Esteja atento para alguém que está sempre tentando modificá-lo. Há uma grande diferença entre "controlar" e "fazer sugestões." Uma sugestão é feita para seu benefício; uma declaração de controle é feita para o benefício ou satisfação de outra pessoa.

7. Você fica com a pessoa errada porque você não põe todas as cartas na mesa.

Tudo aquilo que o aborrece no relacionamento deve ser trazido à tona para entendimento. Falar sobre aquilo que incomoda é a única forma de avaliar o quão positivamente vocês se comunicam, negociam e trabalham juntos. No decorrer de toda a vida, as dificuldades inevitavelmente surgirão. 3 

Você precisa saber antes de assumir um compromisso: Vocês conseguem resolver suas diferenças e fazer concessões que sejam boas para ambas as partes?
Nunca tenha receio de deixar a pessoa saber aquilo que o incomoda. Esta é também uma maneira para você testar o quanto esta pessoa se importa com você. Se não se importar, então não pode ser íntimo. Os dois devem caminham juntos.

8. Você escolhe a pessoa errada porque usa o relacionamento para escapar de problemas pessoais e da infelicidade.

Se alguém é infeliz quando solteiro, provavelmente será infeliz quando casado, também. O casamento não conserta problemas pessoais, psicológicos e emocionais. Na melhor das hipóteses, o casamento apenas os agravará.
Se alguém não está feliz consigo mesmo e com sua vida, aceite a responsabilidade de consertá-la agora. Você se sentirá melhor, e seu cônjuge lhe agradecerá.

9. Você escolhe a pessoa errada sem saber que ele/ela está envolvido em um triângulo.

Estar "triangulado" significa que a pessoa é emocionalmente dependente de alguém ou de algo, ao mesmo tempo em que tenta desenvolver um outro relacionamento. Uma pessoa que não se separou de seus pais é o exemplo clássico de triangulação. As pessoas também podem estar trianguladas com objetos, tais como o trabalho, drogas, a Internet, passatempos, esportes ou dinheiro.
Assegure-se de que você e seu parceiro estejam livres de triângulos, dependências ou vícios. A pessoa apanhada em um triângulo não pode estar emocionalmente disponível por completo para você. Você não será a prioridade número um. E isso não é base para um casamento.

10. você não vive bem no casamento porque não tem sido um verdadeiro(a) servo de Deus.

Você erra por não estar com a vida consagrada, seu alguém de profunda intimidade com Deus na oração. Gostar de ler e obedecer sua palavra?
Como seu casamento vai bem se você não para ouvir o Senhor?
O Espírito de Deus vive realmente dentro de você, ou o visita de vez em quando, quando o Senhor pela sua misericórdia resolve lhe dar momentos de refrigério?
Related Posts with Thumbnails

Virtuosas sim!!

Virtuosas sim!!
Ocorreu um erro neste gadget
 
©2010 Raquel Por Blog Dos Layouts